Post publicado por Mariana Martins no dia 28/03/2013

 

O cantor do Reino Unido Ed Sheeran, que se tornou uma sensação da noite para o dia com sua carta na manga, a canção “The A Team”, tocou também os ouvintes com outra música de seu álbum “+” (plus) com uma surpreendente mensagem pró-vida. Em suas histórias sobre suas letras, a música, “Small Bump”, relata a jornada de uma gravidez com uma surpresa inesperada do ponto de vista de um pai. Narrando as semanas e meses de desenvolvimento no útero, a canção revela o amor de um pai para uma criança, que claramente foi amada e cujo nascimento foi interrompido.

“ Em quatro meses será trazido à vida

Você pode ter o meu cabelo

Mas seus olhos serão os de sua mãe

Vou segurar seu corpo em minhas mãos

Serei o mais gentil que puder

Mas, por enquanto, você é uma imagem do que eu não planejei

Uma pequena saliência, em quatro meses será trazido à vida

E sussurrarei bem baixo e não lhe direi nada além da verdade

Se você não está dentro de mim, colocarei meu futuro em você

Oh, você é meu e único

Você pode pôr os dedos em volta do meu polegar e segurar firme

Oh, você é meu e único

Você pode pôr os dedos em volta do meu polegar e segurar firme

E você vai ficar bem.”

Sheeran passa a descrever o desenvolvimento do bebê, e seu fascínio com os minúsculos desenvolvimentos é reconfortante:

“Você é apenas uma pequena saliência desconhecida

Você vai crescer em sua pele

Com um sorriso como o dela e uma covinha debaixo do queixo

Unhas dos dedos do tamanho de meio grão de arroz

E as pálpebras fechadas que logo se abrirão.”

A ponte da canção fecha o negócio: Sheeran esta apaixonado, e seu afeto paternal está escorrendo pelo tom suave da sua voz, suas letras e a emoção palpável de olhar para o nascimento de uma criança:

“Você pode deitar comigo

Com seus pezinhos

E quando você estiver quase dormindo

Vou deixar que você fique

Bem na minha frente

Por algumas semanas

Para que eu possa manter você seguro”

No final da canção, você está morrendo de amores com este bebê assim como Sheeran. Mas em um sutil, mas surpreendente final, ele conclui:

“Você era só uma pequena saliência que não tinha nascido

Quatro meses, e então, desprovido da vida

Talvez precisassem de você lá em cima

Mas ainda não sabemos por quê.”

No vídeo da música, a dor do pai manifesta-se pelo fato de que ele é relegado a sala de espera de um hospital. O espectador antecipa uma enfermeira saindo para cumprimentar o pai com a feliz notícia de uma criança, mas ao invés disso, câmeras fecham a cena com ele permanecendo na sala de espera, incapaz de trazer para casa o quente e saudável filho, que era tão aguardado. Depois que Sheeran faz você se apaixonar, você descobre que na verdade a canção é uma homenagem à sua memória.

Algumas coisas sobre este vídeo são únicas. Primeiro, ele comenta sobre um problema que geralmente não transmite o ponto de vista masculino. Em segundo lugar, ele toca na tragédia de perder um filho. Enquanto aparentemente parece ser fora do contexto do aborto, o clima pesado da sala de espera e o fim de anti-clímax são marcas compartilhadas por ambos os cenários, de modo que uma comparação não está fora de questão. É bonito ver histórias como esta, que da voz aos pais que perderam filhos que eles realmente queriam.

Sabemos que no aborto, não importa o que um pai quer: ele não tem direito nenhum de interferir com as decisões de vida ou morte de seu filho. Esperamos continuar a ver os pais falando da dignidade de seus filhos e demonstrando seu papel dinâmico na família.

 

Tradução e adaptação: Matheus Scarpatti



comentários

Webstatus

Projetos

Agenda

Twitter

Facebook

Apoio

Afiliados