billboard ed

O cantor e compositor sensível lida com o grande momento como amigo de Taylor Swift, um parceria quente com Pharrell e um novo status como ‘banda de um homem só’ na arena.

Você mal enxerga seu cabelo ruivo olhando por cima de seus sapatos. Lembre-se, ele não compra os sapatos mais caros que a Flight Club tem para oferecer – Esses seriam os ‘Octobers Red’ desenhados pelo Kanye West, trancados em gabinetes raros das lojas com um valor de revenda de $ 6.000 dólares- que ele tem só porque a Nike já havia dado um par. Ele os usava quando acompanhou Taylor Swift para a festa da Vanity Fair Oscar, em março.

“Eu gosto de sapatos confortáveis ​​- os maiores que são macios por dentro” – ele explica amortecendo seu tênis da Adidas.

Há referências a um par de sapatos de couro pontudo, que ele foi convencido a usar na manhã do Grammys quando ele foi pela indicação de Melhor Artista Revelação. Aqueles sapatos sociais respeitáveis ​​duraram cerca de 10 segundos. Mas “meu agente basicamente me mudou de ser o mais vestido de 2012, a parecer apresentável”, diz Sheeran, o que significa que ele foi convencido a deixar o moletom e usar um smoking bordado na cerimônia deste ano. 

“Eu estou indo a me vestir um pouco melhor. Eu nunca realmente dei a mínima sobre o que as pessoas estão vestindo, então eu não sei por que as pessoas se preocupam com o que eu tenho por diante.”

Sua assessoria furtivamente disse que alguém ‘fez algum dano’ às despesas da Atlantic Records. Mas eles provavelmente estão falando de outros departamentos, Ed é aparentemente uma das estrelas de mais baixa manutenção de todos os tempos. Não é apenas suas camisetas que favorecem, as arenas de suas apresentações são como uma noite casual.

Mesmo tocando em clubes e estádios, ele passou sua carreira em turnê como um a verdadeiro artista solo, sozinho no palco todas as noites por uma hora e 45 minutos. Observando o público de meninas gritando, com não muito mais do que um violão ao comando, você pode pensar nele como Llewyn Davis com um pedal loop e um caso grave de superação.

Agora ele está prestes a lançar a todos mais um loop. Quando o mundo pop tinha se acostumado a pensar nele como James Taylor desta geração, ele está tomando algumas sugestões musicais de um outro JT (Justin Timberlake), Pharrel. O single produzido por Pharrell Williams, “Sing” já esta à venda no iTunes (clique aqui), para dar a Justin Timberlake um funcionamento no seu  departamento de R&B inspirado em falsete. A canção está definida para colocar o mundo pop em alerta para um segundo álbum que chega 23 de junho e também rédeas em produtores como Rick Rubin e Benny Blanco para ajudar Sheeran na variação de neo-folkie e funk.

Sheeran passou a maior parte de sua carreira – que começou quando ele lançou seu primeiro EP aos 14 – sendo um cantor e compositor sensível, mas seu movimento pop dificilmente é sem precedentes. Ele tem músicas co-escritas por Swift e One Direction, e tem com ambos (Swift e Harry Styles) uma amizade VIP. Ele também passou a maior parte de 2013, como ato de abertura de Swift na Red Tour, o que pode ter enganado algumas pessoas a pensar que ele é, você sabe, um ato de abertura. Ele não é, no entanto. Como Sheeran humildemente relembra, ele esgotou o Radio City Music Hall, em Nova York, antes de acompanhar Swift, apenas com base em um álbum de calouro e uma curiosidade, em evolução ao hit, “The A Team”. Depois de sua épica corrida com Swift em setembro, ele voltou para Nova York para fazer três shows como atração principal no Madison Square Garden. Quantas pessoas sabiam que esses shows iam esgotar – quase imediatamente?

“Eu tenho que ser honesto: Eu sabia”, diz ele. “Mas ninguém mais sabia. Foi por isso que eu fiz três [datas]”, mesmo que os shows foram anunciados um de cada vez. “Eu conheço minha fan base e eu posso dizer quando algo está indo bem. E as vendas de discos não espelham a venda de ingressos.”

Sheeran disse que “+” – sua estréia em uma grande gravadora, a Atlantic – já vendeu 4 milhões de cópias em todo o mundo (“e Taylor vendeu 6 milhões de Red , por isso não falhou em nenhum sentido”), mas as vendas dos EUA são 791.000, de acordo com a Nielsen SoundScan, não exatamente o perfil de um artista que pode vender para fora de Manhattan não uma, mas três vezes.

“Eu sempre vendi mais ingressos na América do que gravações. Minha renda é de 6 por cento de gravações vendidas. Então ao vivo é uma espécie de tudo.”

Ele arrecadou pouco mais de US $ 8 milhões como atração principal em 31 shows em 2012. Além disso, ele é provavelmente um dos Performers mais eficientes em termos de lucro quando em turnê agora. Onde a maioria dos atos que lotam arenas  necessitam de 10 caminhões de equipamentos, ele viaja com cinco.

“Seu show é tão cativante e tão valente,” Swift disse à Billboard, relembrando a sua temporada norte-americana. “É uma jogada muito corajosa sair para um estádio em turnê com nenhuma banda. Era só Ed lá em cima com seu violão todas as noites, fazendo o que ele tem feito desde que ele estava tocando em clubes e bares e pubs na Inglaterra quando criança.” Mas ela está curiosa para ver a mudança. “Ele toca solo e acústico agora, mas há alguns meses atrás estávamos na Alemanha e Ed veio a surpreender o público com sua música ‘I See Fire’, que é um enorme sucesso lá. Foi a primeira vez que ele tocou com uma banda completa, e eu vi esse brilho nos olhos. Tenho a sensação de que a produção de seu show ao vivo vai se expandir nos próximos anos, e eu não posso esperar para ver em cada passo do caminho. “

A mudança vai vir – mas provavelmente não em 2014.

“Ter uma banda como cantor e compositor é uma coisa bastante normal, e eu perderia meu único ponto de venda, uma vez que eu fizesse isso”, Sheeran disse, observando que existem alguns pontos de orgulho sobre a configuração atual de solo ainda a ser abordada. “Ninguém é levado para além de um certo nível de ser capaz de fazer MSG, com isso foi muito especial.” (Tão especial que ele tem uma nova tatuagem para comemorar a conquista -. Três luvas de boxe em seu braço direito) “Mas eu acho que uma vez que uma grande maioria das pessoas me viram fazer isso, então eu vou seguir em frente.” Ele faz uma pausa. “Eu quero manchete de um estádio”, solo, ele anuncia. E isso não é apenas um desejo – que está acontecendo. “Eu provavelmente não posso dizer onde, mas temos reservado um. E eu acho que uma vez eu fizer isso, isso é feito no pedal loop”, diz o ruivo.

Depois, a conversa se ​​voltou para o destino dos ruivos no cinema, música e humor escola.

“A piada é, qual é a única coisa que um ruivo perde da festa?” pergunta Sheeran “O convite”. Ele continua indo. “Você já viu os filmes de Harry Potter? Eles são muito realistas, e não é apenas sobre os assistentes e os dragões. É que um ruivo poderia ter dois amigos.”

Há um ponto para a sua desvalorização, ele diz: “Ruivos  são devidamente escolhidos [perseguidos] nas escolas. É que o racismo é totalmente inaceitável na Inglaterra, mas você tem que tirar sarro de alguém. Está tudo bem. Nós vamos dominar o mundo.”

Confira parte da entrevista:


Fonte: Billboard

Tradução e Adaptação: Ed Sheeran Brasil

 



comentários

Webstatus

Projetos

Agenda

Twitter

Facebook

Apoio

Afiliados