Post publicado por Renata Marcon (@afiretami) no dia 26/11/2012

Ed Sheeran está levando seu violão cheio de indie pop para várias cidades da Europa e EUA. Datas na Irlanda foram confirmadas para Janeiro de 2013.

A turnê que apresenta músicas de seu primeiro álbum, +, tem sido muito popular até agora, com muitos shows com lotação total, atraindo multidões de pessoas.

Alguns dos quais chegam na fila às sete horas da manhã no dia do show e provavelmente desmaiam antes mesmo de Ed subir no palco.

Um dos shows da tour foi realizado na Hull Arena do Reino Unido, lugar que normalmente é usado como pista de gelo para patinadores e lembra vagamente uma caixa de papelão. O maior show de Hull havia sido até então o da banda de pop também britânica, McFly em 2004.

Não é um lugar impressionante, especialmente quando se considera que Sheeran se apresentou no X Factor UK seis dias depois.

No entanto, a performance do ruivo aliada à intimidade que tem com seu público torna qualquer lugar ótimo. Além disso, o desempenho técnico de Sheeran supera toda e qualquer expectativa.

Esgotado

O show com bilheteria esgotada foi realizado para 3.750 pessoas e incluiu a participação dos amigos Passenger e Foy Vance.

Passenger teve uma boa recepção do público, considerando que ele tocava nas ruas até não muito tempo atrás, seu desempenho foi no mínimo, intrigante.

O set de Passenger estava bem focado, ele comandou a multidão para se juntar à ele e cantar suas baladinhas e músicas de humor. Estilo bastante semelhante ao de Sheeran, que também costuma pedir aos espectadores que cantem com ele.

O bigodudo Foy Vance foi o segundo a subir no palco com Ed; apesar de sua grande voz, ele não recebeu a mesma recepção da multidão.

A performance de Ed foi, em geral, uma brilhante mistura de seus sucessos e duetos com artistas e amigos.

Preenchendo a arena sem um microfone

Um destaque especial do show foi o momento em que Ed cantou sem a ajuda de um microfone e ainda assim conseguiu encher a arena com sua voz.

Isso foi particularmente impressionante e hipnotizou o público, deixando todos em silêncio!

A enorme variedade musical de Sheeran é enfatizada pelo contraste de seu silêncio espetacular nas faixas acústicas, com a maior participação por parte do público que eu já testemunhei em um show.

Ed tocou todos seus hits, incluindo ‘Lego House’ e ‘Small Bump’. Ele brincou antes do bis “Essa é aquela parte onde eu finjo que vou tocar minha última música”.

Por falar em bis, ele foi composto de duas músicas, ‘The A Team’ e ‘You Need Me I Don’t Need You’, a última foi cantada com entusiasmo por todos na Arena.

Ed, como sempre, tocou sem a ajuda de backing vocals ou músicos, se apresentando apenas com a ajuda de seu violão e uma máquina de loop que também funciona como simuladora de bateria. Isso foi bom para ver como um show cheio de floreios e frescuras não funcionaria para Sheeran.

Bem pago

É inegável que o valor do ingresso é muítissimo bem pago, já que Ed se apresenta por volta de duas horas, só parando após receber o toque de recolher da Arena, as 23h.

O entusiasmo de Sheeran em se apresentar não é mantido por muitos outros artistas, que só se propõem a tocar por no máximo uma hora.

No geral, Sheeran deu um show de desempenho e talento, fazendo jus à sua populariedade. Ele é um artista genuinamente talentoso que não precisa fazer uso de artifícios especiais para criar um bom show.

Fonte: Inside Ireland
Tradução e adaptação: Renata Marcon 



comentários

Webstatus

Projetos

Agenda

Twitter

Facebook

Apoio

Afiliados