buzz

 

Você provavelmente conhece um pouco sobre o Ed Sheeran agora – Cantor e compositor ruivo de 22 anos, defendeu seu estrelato não somente pela adoração fervorosa de Swifties e Directioners, mas também com a sua força  de sua determinação inabalável (antes de ser famoso, ele tentou fazer um show a cada dia do ano).

Hoje em dia ele é capaz de contar com pessoas como Sir Elton John, com quem cantou seu hit ‘The A Team’ no Grammy Awards 2013, sua colega de turnê, Taylor Swift, Bill Clinton e ninguém menos que a Rainha da Inglaterra.

BuzzFeed sentou-se com ele durante o  lançamento de seu violão, que ele mesmo desenhou para a marca Martin, para beneficiar as crianças do East Anglia’s Children’s Hospices.

Você já pensou em se tornar outra coisa senão um músico?

Ed Sheeran: Eu acho que para ser bem sucedido em qualquer coisa que você tem que se colocar em um inferno de muito esforço. Escolha suas batalhas. Eu escolhi a música,e fazendo muito esforço tem funcionado. Com a música, você pode colocar alguém com um instrumento musical ou até mesmo sem e deixá-lo mostrar seu talento, e dentro de 30 segundos você poderia dizer se ele é bom ou não, mas atuando você tem que dar-lhes a coisa certa. Se De Niro não tivesse feito Mean Streets ou Taxi Driver, ele não poderia ter começado Raging Bull.

É uma coisa estranha. Há um monte de atores que estão lá fora, provavelmente brilhantes, que nunca tiveram o julgamento correto. Eles não foram exibidos nesse nível. Com música, você diz: “Eu faço isso”, e alguém será capaz de dizer se é bom ou não. Acho que isso me impede atuar ou ser artista. Eu realmente não sei o que é bom ou ruim na arte, porque toda a arte que eu  gosto as pessoas me dizem que é de mal gosto. Eu realmente gosto de Graffiti. Não como Banksy… Há um cara chamado Goldie que faz essas fotos com tinta spray e essas coisas … Ele faz isso com pessoas particulares. Ele vai pegar você e vai te pintar com tinta spray, exatamente você, em madeira e ele poderia cortar a madeira e, em seguida, queimar tudo em lados diferentes e colocá-lo novamente e laça-lo e pulverizá-lo novamente.

Você já grafitou?

ES: Eu costumava ficar bêbado após meus shows e assinar nas paredes “ Ed esteve aqui” . Então se você ver isso, fui eu.

 Qual seu lugar favorito na turnê e onde é o menos favorito?

ES: Eu não encontrei um lugar menos favorito ainda, mas eu nunca estive em todos os países, então eu tenho certeza que haverá um lugar onde eu direi “Isso é um saco”. É um trabalho realmente legal. Meu lugar favorito é a Austrália. Minha primeira apresentação em uma Arena foi na Austrália e foi simplesmente uma experiência maravilhosa… estar lá e as entrevistas e a interação com as pessoas e tocar nesses lugares grandes.

 Quem são seus artistas favoritos que seus fãs podem não saber ou quem você acha que deveria estar recebendo mais atenção?

ES: A maioria dos artistas que levo em turnê são meus amigos. Há um que, provavelmente agora todos os meus fãs conhecem, está em turnê comigo há cerca de um ano consecutivo … Um pouco mais, talvez 14 meses, e agora ele é chamado de Passenger. Ele está na minha etiqueta e atingiu No. 1 em 17 países diferentes, e continua subindo nas paradas. Eu acho que as pessoas vão estar muito conscientes dele, se eles não estão agora, será muito em breve. Ele estava em turnê comigo por um longo tempo. Há outro cara chamado Foy Vance, que é muito similar. Ele vai ser enorme.

 Qual a coisa mais louca que você fez desde sua ascensão à fama?

ES: Talvez conhecer Paul  McCartney ou a Rainha? Toquei no Jubileu da Rainha. Foi muito legal. Eu joguei poker com Bill Clinton no outro dia.

Sério? O que foi isso?

ES: Legal. Eu comprei um saxofone e levei para assinar. De Niro que foi um grande problema. Toquei na abertura do hotel do De Niro. Peter Jackson, o cara que fez o Senhor dos Anéis nos convidou para jantar. Apenas um monte de coisas ruins aleatórias aconteceu. Esse é geralmente o melhor trabalho. Todo dia algo louco que acontece.

Bill Clinton é bom no poker?

ES: Ele não jogou. Foi para sua fundação e ele estava lá para levantar o dinheiro. Eu fui comprado por um advogado em Nova York cuja filha disse que eu era bom no palco. Eu não era muito bom [no poker], mas eu disse “Olá”, e tirei uma foto e ele me colocou no jogo como agradecimento. Eu perdi. Eu perdi seu dinheiro, o que não foi um bom negocio.

E como você acha que será o resto da turnê? Para onde você irá depois?

Ed: Vou estar em Nova York e estaremos tocando amanhã no Metlife Stadium. O resto da turnê… 22 de setembro e então estarei fora por uns três meses, o que é demais.

O que você vai fazer com o tempo livre?

ES: Nada. Acalmar-me em casa, que eu nunca fiz corretamente.

Espere … você ainda não fez isso?

ES: Bem, eu fiz. Eu fiquei quase duas ou três noites lá, mas não o suficiente para apreciá-la adequadamente. As poucas vezes que eu estive lá, estava com meus amigos e demos uma festa, porque [a casa] é completamente vazia. Você pode ter uma festa furiosa em casa e nada seria quebrado.

Perfeito. Você não deve colocar móveis.

ES: Talvez na primeira semana eu possa dar algumas festas em casa e, em seguida, dizer:  “Vai todo mundo se foder”, e então eu vou preenchê-la com coisas agradáveis​​.

 Você planeja escrever mais quando você estiver em casa?

ES: Sim. Acabei de construir um estúdio no meu jardim. Eu não estou planejando isso, mas se o humor me levar, eu vou.

É difícil escrever na estrada?

ES: Na verdade, não. Eu pensei que seria, mas eu tenho escrito mais durante essa turnê do que nunca antes.

Em que você está buscando inspiração agora?

ES: Na relação que eu estava e que agora não estou mais. Tem sido positivo, eu tenho gravações. Provavelmente duas. Eu me cuido para não escrever músicas sobre garotas, é mais como um álbum inteiro sobre uma pessoa. Eu nunca planejo, mas eu só estive em uns três relacionamentos, então é assim que funciona.

Qual é a composição que você mais gostou até agora?

ES: Eu escrevi uma [música] outro dia e eu estava muito feliz com ela. Eu não estava esperando colocar mais nenhuma canção no álbum, mas eu entrei no estúdio ontem e fui gravar uma canção e comecei a tocar um riff e disse: “Oh, isso parece legal”, e escrevi outra canção.

Você é capaz de improviso no estúdio?

ES: Quase. Murmuro junto com a música e, em seguida, vou na cabine e coloco em palavras a melodia.

Então você escreve letras na hora?

ES: Sim, na verdade, eu não tenho escrito nada há algum tempo. Eu sei que todos os rappers fazem isso… Não é tudo incrível, porque rappers dizem: “Oh, não, eu não escrevi nada”, mas gastam muito tempo na porra na cabine vocal trabalhando o que eles vão dizer. É como escrever algo, mas você ir passo-a-passo. Eu posso entrar e fazer um verso e dizer: “Oh, não, isso não está certo”, e fazer de novo … é uma coisa gradual.

Você tem que ter uma boa memória para isso.

ES: Eu não tenho muita coisa para se lembrar. Meu trabalho é lembrar as letras e cantá-las. Eu não tenho que lembrar trigonometria para os exames de matemática.

Quando foi que você se envolveu com Martin?

ES: Eu tenho tocado com Martins há sete anos. Eu acho que cada músico tem um violão em mente e eles [Martins] são uma espécie de pico de violões acústicos. Você realmente não pode ficar melhor do que eles em um nível mainstream. É uma honra enorme estar envolvido e estar em uma causa que está perto do meu coração. Eu faço um monte de trabalhos com os asilos infantis em geral. Este hospital é o meu local. É para toda a East Anglia, que é um lugar muito grande.

Você consegue ir pra casa bastante, ou está ocupado demais com sua turnê?

ES: Não. Taylor [Swift] tem um monte de dias de folga – haverá uns cinco dias de folga, e eu vou subir em um avião e vou voltar e ver todos os meus amigos. Eu faço isso muito.

Eu tenho certeza que é diferente de quando você começou a turnê. Como isso mudou para você? Você gosta mais?

ES: É muito mais livre agora. Quando eu comecei a turnê, eu tinha que fazer tudo sozinho: eu fazia minha reserva, eu viajava sozinho, eu fazia toda a passagem de som. Agora eu tenho uma equipe de quatro pessoas. Eu tenho o engenheiro de som, o cara da iluminação, técnico de violão e o gerente de turnê. O tour manager cuida de toda a logística de viagens do show. É muito mais relaxante para mim.

 

Curtiram a entrevista? Deixem seus comentários!

 

Fonte: Buzzfeed
Tradução e Adaptação: Ed Sheeran Brasil



comentários

Webstatus

Projetos

Agenda

Twitter

Facebook

Apoio

Afiliados