Quando Ed Sheeran descreve à si mesmo como um artista solo, ele realmente quer dizer artista solo.

Quatro anos e dois álbums depois, ele ainda viaja o mundo apenas com seu loop pedal e um violão.

Essa coisa de ‘banda-de-um-homem-só’ funciona quando se toca em pequenos bares e teatrinhos, mas agora que ele esgotou a bilheteria do Madison Square Garden três vezes seguidas, é tempo de contratar alguns amigos, montar uma banda de verdade e gastar uma graninha com uma boa produção, não?

Não mesmo.

Esse ruivinho britânico, nerd, suado e amável, de 23 anos, só parece melhorar no que diz respeito à chamar a atenção e encher as maiores arenas do mundo, sozinho.

Ele parece mais acomodado após cada show que faz na Austrália (é a quarta visita dele no país), ganhando confiança e temperança.

Exatamente como seu último disco, x, sua apresentação ao vivo atingiu o outro lado do espectro musical.

Retumbando batidas de hip hop criadas na pedaleira e floreios em seu violão que são tocados sem parar, criando sons monstruosos em Bloodstream e Drunk.

Baladas são ainda mais exageradas, quase como uma rendição brega de Thinking Out Loud, apresentada somente com uma guitarra solitária e as harmonias de voz complexas combinadas uma sobre as outras em Kiss Me.

E os sucessos que tocaram sem parar nas rádios como Give Me Love e Sing foram quebrados e reconstruídos do zero de maneiras surpreendentemente criativas.

Ele pode ter subido sozinho no imenso palco da Qantas Credit Union arena – com apenas alguns vídeos sendo exibidos num telão gigantesco – ainda assim, ele conseguiu com facilidade preencher o local com camadas de som espetaculares.

No entanto, não foi por isso que ele esgotou as apresentações na mesma arena três noites seguidas.

As composições podem ser únicas e seu talento de cair o queixo, mas ele não é o primeiro cara a pegar um violão e cantar sobre o amor.

Cada batida do violão e verso cantado são exagerados, como qualquer outro cara que resolve tocar alguns covers de Matchbox 20 em um bar.

Houveram outros momentos bregas, como devaneios que foram de No Diggity à Superstition no meio de seus próprios sucessos.

Eu percebi um pouco de cansaço em sua voz, talvez devido à gripe que Ed mencionou antes ou o fato de que ele ainda, em grande parte, faz um show como o apresentado quatro anos atrás.
Mas ainda é seu jeitinho amável, de fácil aproximação que o torna superior à qualquer outro cara com um violão.

Quando ele xinga, é muito fofo. Quando ele faz uma piada, é mais fofo ainda. Quando ele pula em um amplificador na frente da platéia para mais uma rodada de rap, é absurdamente fofo.

Seu jeito auto-depreciativo (ele ainda canta sobre seus raps deixarem as pessoas putas) obviamente deixa uma marca em nossa sociedade de nariz empinado.

“Todos esperam que eu haja como uma estrela nos Estados Unidos, enquanto aqui, eu acho que todos esperam que eu haja como um cara normal. Essa é a diferença,” ele contou para a mídia australiana essa semana.

Isso significa que funciona perfeitamente quando Sheeran é apenas Sheeran; sozinho e nada mais.

Fonte: The Sydney Morning Herald (Rachel Olding)
Tradução e adaptação: Ed Sheeran Brasil



De acordo com o Heatworld.com, o romance entre Ed Sheeran e sua namorada de aproximadamente 14 meses, Athina Adrelos, chegou ao fim.

Uma fonte que falou exclusivamente com a revista, disse:

A gota d’água foi o after-party [do BRIT Awards]. Foi uma combinação do Ed ter bebido muito e ele não ter sido capaz de lidar com a namorada que ficou em cima dele naquela noite. No dia seguinte, quando Athina levou Ed ao aeroporto, eles conversaram e decidiram dar um tempo na relação, porque era injusto com os dois.

Só podemos imaginar o quão cruel isso foi para o Ed; Ele estava feliz com tudo que está acontece na vida dele.  Ele vai entrar em um avião para começar uma turnê de 6 meses. E de repente sua relação chega ao fim.

Mas, se lembrarmos que Ed escreveu “Thinking Out Loud” para Athina, então talvez podemos pensar que eles ainda tenham uma chance de resolver tudo.

 

Fonte: entertainment.ie
Tradução e Adaptação: Ed Sheeran Brasil



E, mais uma vez, Ed Sheeran entra para a trilha sonora de uma novela da Globo. A primeira vez, foi “Give Me Love” e “The Parting Glass” na geração 2013/14 de Malhação, depois veio “SING” na última novela das oito, Império, e agora, o single de maior sucesso no país e o clipe mais visto do Ed, “Thinking Out Loud”, faz parte da trilha da novela das seis, Sete Vidas.

Além dele, tem Tiago Iorc, Meghan Trainor, Nando Reis, Hozier, Tove Lo e alguns artistas brasileiros.

Atualmente, Thinking Out Loud tem mais de 300 milhões de visualizações.

Fonte: Pure Break

Por: Ed Sheeran Brasil

 




Webstatus

Projetos

Agenda

Twitter

Facebook

Apoio

Afiliados